iPhone 6S – 3D Touch e as novas Experiências com VoiceOver

As notícias sobre o 3D Touch dos novos iPhones 6s tem gerado expectativa pelo início das vendas do aparelho aqui no Brasil. Apesar disso, esses novos modelos já chegaram nas mãos de alguns usuários, que se apressaram em morder a maçã e conhecer o jeito inovador e diferente de interação com as telas de toque.

Em comparação com um iPhone 5S, a grande novidade fica por conta da velocidade e rapidez de resposta aos gestos e ações, deixando o aparelho muito mais versátil, inclusive com o recurso de acessibilidade VoiceOver ligado. Para desbloquear o aparelho usando o Touch ID, por exemplo, no iPhone 5S era preciso deixar o dedo sobre o botão home por alguns segundos. Eu mesma tinha o costume de apertar rapidamente o home para ouvir o VoiceOver pronunciar as horas sem desbloquear a tela. O desbloqueio da tela só acontecia após alguns segundos, caso o dedo permanecesse em cima do sensor. Agora, no iPhone 6S, basta tocar levemente no botão home que em 2 segundos ou menos a tela rapidamente é desbloqueada, sem passar pela fase da leitura das horas. Por um lado sinto falta de ouvir o VoiceOver falar as horas, mas isso é possível agora apertando a tecla Power.

Como toda novidade traz um jeito novo de interagir com o aparelho, o uso do 3D Touch vai se tornando mais agradável a cada dia, porque descobrimos sua funcionalidade e nos tornamos mais ágeis para desfrutar dos benefícios do uso desse recurso. Vamos entender como o 3D Touch funciona com o VoiceOver ligado.

Em primeiro lugar, o uso do 3D Touch não extingue  a necessidade do duplo toque quando navegamos com o gesto de varrer a tela com um dedo. Quando varremos da esquerda para direita, focando no próximo item, ou da direita para esquerda, para ir para o item anterior, podemos dar dupo toque em qualquer lgar da tela para abrir o aplicativo focado ou executar a ação selecionada.

Com o 3D Touch, obrigatoriamente é preciso trabalhar com a exploração da tela. A exploração deve ser feita arrastando um dedo pela superfície da tela, encontrando os aplicativos ou ações, que ficam exatamente debaixo do dedo, no local onde estamos tocando com ele. É nesse ponto que o 3D Touch começa a funcionar e tudo vai depender da intensidade, da força empregada ao estar com o dedo já encostado na tela. Lembro que essas dicas funcionam com o VoiceOver ligado.

Se eu exploro a tela e encontro, por exemplo, o aplicativo "câmera", sem levantar o dedo da tela, e faço uma pressão um pouco mais forte até o aparelho dar uma pequena vibradinha, uma janela PopUp se abre com algumas opções: tirar selfie, gravar vídeo, tirar foto. Posso então varrer com um dedo e dar duplo toque para ativar a opção desejada ou continuar explorando sem tirar o dedo da tela e dar uma pressão mediana para ativar algum item. Já se eu quiser abrir o aplicativo "câmera", sem tirar o dedo da tela, basta eu dar uma pressão forte em cima do ícone ou mesmo se já tiver aberto a janela PopUp. Parece meio estranho, mas tudo isso é feito em fração de segundos.

No aplicativo "Telefone", a pressão mediana te leva a lista de chamadas recentes, mostrando as três últimas ligações e também a opção de criar novo contato. Caso você tenha uma lista de favoritos, ele te mostra, no lugar das chamadas recentes, três favoritos mais a opção de criar um novo contato. Também podemos criar uma nova publicação no facebook ou adicionar fotos diretamente da janela PopUp. No WhatsApp pode-se procurar contato ou começar uma nova conversa. A pressão mais forte faz abrir o aplicativo como um todo.

Dentro dos ajustes, a pressão mediana, estando em modo de exploração de tela, abre o ícone ou opção desejada, ativa ou desativa funções, também clica em botões. Dentro do aplicativo "Mail" estando em uma lista de e-mails, a pressão mediana sobre a mensagem traz uma pré-visualização e ao soltar a tela ele volta automaticamente pra lista. Caso desejar abrir a mensagem, basta dar uma pressão mais forte. dentro do WhatsApp, a pressão mediana sobre a mensagem, faz surgir acima dela um menu para editar, compartilhar, copiar, entre outros. Também com a pressão mediana sobre um link, pode-se pré-visualizar o conteúdo. Lembrando que para que a pressão mediana seja corretamente executada é preciso que o dedo permaneça na tela, pois quando afastado ele volta no que estava antes.

Sempre a pressão mediana, que abre a janela PopUp ou a pré-visualização, traz uma vibração pequena, acompanhada de um som quando o aparelho não está no silencioso. O 3D Touch também não interfere nos toques longos, naqueles usados, por exemplo, para apagar ou mover um aplicativo. A intensidade do toque não pode ser confundida com o tempo em que o toque é executado.

A abertura dos aplicativos no iPhone 6s é absurdamente mais rápida, uma diferença incrível de produtividade. A tela também ficou maior, tendo 4,7 polegadas se comparada com a versão 5S. Contornos arredondados e exterior idênticos ao modelo anterior da versão 6.

Senti uma pequena melhora na bateria se comparada ao 5S, porém achei que o som perdeu um pouco em qualidade. Se o VoiceOver está muito alto, o som fica mais saturado e atrapalha a compreensão da pronúncia de algumas palavras.

Algumas outras novidades devem ser mesmo por conta da atualização do IOS 9.1, que é o caso da multitarefa, rodando dois aplicativos simultaneamente, de poder configurar o tempo de demora para o duplo toque e outras mudanças pequenas dentro dos ajustes.

Ainda falta muita coisa para testar, mas só por essas mudanças vale muito a pena experimentar as inovações trazidas pela Apple nessa nova geração dos iPhones.

© Luciane Molina – DicasApple.com


Compartilhe...

Publicado em Acessibilidade, iPhone, VoiceOver

Nabegação de Posts


2 comentários sobre “iPhone 6S – 3D Touch e as novas Experiências com VoiceOver
  1. lucastito disse:

    por que a navegação é obrigatoriamente com um dedo descobrindo a tela sem desencostar esse dedo? por que não pode ser aquele gesto simples de mover para esquerda ou direita como antes e quando o app tiver o foco, dar a pressão média/grande/dois toques?

Deixe uma resposta